Ojas: o brilho da saúde


Ojas é a essência cumulativa restante após o ciclo de nutrição dos dhatu estar completo. Nosso físico. A força mental e espiritual é totalmente dependente de ojas. Nossa aura pessoal, a força e o brilho que estamos destinados a exalar, é produzida a partir de uma abundância de ojas, que é nossa melhor proteção contra doenças mentais e físicas. À medida que ojas prospera, a imunidade natural do corpo também. A clareza mental e as memórias cognitivas também florescem. Se, por outro lado, o corpo tiver insuficiente rasa, os tecidos ficam secos e emaciados, resultando no esgotamento das ojas. O embotamento tanto mental quanto físicos seguem naturalmente. A diminuição das ojas também promove um aumento na ama, ou desperdícios, produzido pelo corpo.

Kala: o corpo de cristal A transmutação dos Dhatu no corpo é o modelo e prova do dinamismo da Terra ocorrendo dentro de nós. Antes de os nutrientes se infiltrarem em um dhatu particular, eles passam através de uma membrana prismática ou corpo de cristal, chamado kala. Aquecidos/cozinhados pelo fogo dos tecidos do corpo, os nutrientes são ainda transformados pelo corpo de cristal, que, projetando um espectro de vibrações, permeia os tecidos receptores enquanto estão sendo alimentados. Da mesma forma que você pode aproveitar a infração de luz que permeia de um cristal, cada dhatu é banhado por um espectro de vibrações que se difundem através do kala. Quando os nutrientes dos alimentos e da mente são saudáveis, o corpo de cristal é claro e brilhante; Quando os nutrientes estão poluídos, eles nublam/turvam e podem até bloquear completamente o cristal. Essencialmente, enquanto o rasa dhatu está sendo formado, as vibrações universais de alegria e satisfação transpiram para o organismo através do cristal do corpo. Este é, então, o segredo de que rasa carrega alegria e satisfação cósmicas infundidas da natureza, chamada prinana. Quando rasa está sendo reabastecido no corpo, experimentamos uma elevação de espírito à medida que as essências do arco-íris do cosmos são recebidas no organismo. Se, no entanto, os nutrientes são insalubres, rasa dhatu exala tristeza e sofrimento, ao invés de alegria, e essas emoções negativas rapidamente permeiam todo o organismo. À medida que rasa alimenta o sangue, a alegria se encaixa em alegria primorosa. O corpo, a mente e o espírito se tornam infinitamente exuberantes com vida abundante. A bondade e o espírito de abraço/compreensão embebem o organismo. O segredo carregado no tecido do sangue, então, é revigoração e vida, chamado jivana. Quando os nutrientes trazidos por rasa são menos saudáveis, rakta dhatu, tecido sanguíneo, experimenta raiva, letargia e desesperança, que rapidamente afetam negativamente o corpo e a mente. Rakta, por sua vez, alimenta o tecido muscular, mamsa dhatu, que protege e amortece o corpo interno. O segredo trazido ao corpo por mamsa é o discernimento, o discernimento que tira o corpo das influências negativas e o protege ao longo de sua jornada sagrada. Quando mamsa recebe nutrientes poluídos, torna-se confuso e perde sua capacidade de receber vibrações positivas. Tanto o corpo quanto a mente ficam nublados como res